Arquivo da categoria: Lapa Girl por Allan Reis

Integrações.

– Dá licença?

– Sim?

– Eu preciso chegar em Nova Iguaçu e…

– Você é de lá?!

– Sou sim, mas…

– Eu também sou de lá! De que parte você é?

– Ponto Chic, mas o que eu queria perguntar era…

– Ah Ponto Chic, mas ali pra perto de Três Corações ou…

– Olha só, eu preciso ir pra Nova Iguaçu, mas as coisas aqui estão meio confusas.

– Confusas? Não, não tá confuso. É porque hoje você tem que fazer a transferência pra linha 2. Pra chegar em Nova Iguaçu você pode pegar a integração. Você pediu pela integração intermunicipal?

– Sim.

– Então, daqui da Cinelândia, você pega o trem do lado de lá,desce na Cinelândia e troca de plataforma, aí o trem vai passar pela estação da Cinelândia, pela Cinelândia e vai embora até chegar na última estação que é a Cinelândia. Então você sai e pega o ônibus que vai pra Cinelândia, tem dois até. Aí então você estará na…

– Cinelândia. Mas esse é o problema…

– Então eu não posso te ajudar… é melhor você dar uma olhada naquele painel com o mapa das estações.

Olhei o painel. Decidi que era melhor levantar da cama e tomar um café.

Um bode, uma cerveja e um padre

Um bode, uma cerveja e um padre. Olhar esse azulejo me fez lembrar que nem tudo na vida faz sentido, o que é bom, porque abre para interpretações. Mas eu não consigo pensar em nada, nem em nenhuma situação onde os três possam estar dividindo o mesmo espaço. Espera. Agora me passou pela cabeça que se o bode não for bode, há possibilidades…

Mas é muito Photoscape!

– Mas é muito Photoscape!

Essa foi a reação da minha amiga ao ver as fotos de uma revista de moda numa banca ali perto do Odeon. Claro que entendi o que ela quis dizer. Ela não estava falando da cena louca em que garotas vestidas para a balada resolvem passear numa praia no meio do nada. Estava mesmo era indignada com a pele sem poros e o corpo perfeito das modelos. Mexem nas cores, no brilho, no contraste, tudo para recriar um clima.

Agora, porque Photoscape? Muitos outros falariam Photoshop, eu achei que ela falaria Photoshop. Mas sabe que eu gostei da frase dela? Fugiu do padrão.

Quando a gente estava andando pela Mem de Sá percebi que muitos bares ali tem uma cara meio maquiada sabe? Um cenário feito pra aquelas meninas da revista de moda que minha amiga criticou mais cedo. Mesas, garçons, decoração, iluminação tudo é milimetricamente pensado para recriar um clima, mas sem imperfeições, assim como nesses editoriais de moda.

Agora, a gente combinou que quando entrarmos num desses bares arrumadinhos vamos soltar:

– Mas é muito Photoscape!

Fragmento de um discurso amoroso

-Tem Henry Miller, Joyce, Roland Barthes, Jung…

-Tem Roland Barthes?

-Tem, aqui ó.

-Ah, ‘’Fragmentos de um Discurso Amoroso’’… Só tem esse?

-Hoje, aqui, só tenho esse.

Quando eu ouvi Roland Barthes sair da boca daquele vendedor de livros, que fica ali na Rua do Passeio, pensei que ia encontrar uns tesouros tipo “Óbvio e Obtuso” ou “O Grau Zero da Escrita”… Não comprei o livro, mas o nome do livro não saiu da minha cabeça. Até que ví isso no Youtube:

Enquanto via, pensei que a história do clipe era um fragmento de um discurso amoroso e que o livro, já na capa, trazia a definição do que o clipe mostrava… Colocar Roland Barthes e The Potbelleez no mesmo cômodo seria uma boa…   Queria que Roland Barthes estivesse aqui para poder discutir a respeito disso… Como só sobraram os livros, acho que vou ver se ainda acho o livro lá…

Sugestões

Lapa anoitecendo, ainda não decidi o que vou fazer à noite… Tô agora navegando nuns blogs que curto… Você costuma ler algum? Aceito sugestões de blogs, deixa aí nos comentários… Sugestões de lugares para ir durante a noite também. Mas eles não podem ser tão longe que precise pegar metrô, sair da Lapa não faz minha cabeça… Bem, enquanto isso, vou comendo um pão com queijo branco esperando dar hora de sair. Talvez nos encontremos por aí…

Lapa Girl por Allan Reis

Não vou escrever quem sou eu aqui nesse texto. Tente descobrir por conta própria, como eu mesma faria. Colha as informações, investigue. Gosto disso… Não é à toa que logo me formo em Jornalismo. Acho que tenho vocação pra isso, sabe? Quando algo me chama atenção vou fundo tentando entender. Assim como quando vim morar na Lapa. Inicialmente, eu tinha vindo para estudar “na” Lapa. Mas agora eu estudo “a” Lapa. As pessoas, as esquinas, os becos, os dias, as noites… a Lapa. Nela acontece de tudo, nem dá pra escrever agora. Aqui eu tenho vários gostos, várias faces, várias identidades. Por isso não dá pra me apresentar só nesse texto… Mas ele é um começo. E pra começar vou dizer meu nome. Sou Lapa Girl.